Coaching

O que é coaching?

“Coaching é um processo que visa elevar a performance de um indivíduo (grupo ou empresa), aumentando os resultados positivos por meio de metodologias, ferramentas e técnicas cientificamente validadas, aplicadas por um profissional habilitado (o coach), em parceria com o cliente (o coachee).” (Villela Da Matta & Flora Victoria)

O processo de coaching leva o cliente a novos entendimentos, alternativas e opções capazes de fazer com que ele amplie suas realizações e conquistas.

Entenda o processo

O processo de Coaching pode ser diretamente para o aumento de performance ou na transformação e aprendizado do seu comportamento frente aos variados aspectos da sua vida. O Coaching envolve o diálogo entre o coach e seu cliente, que tem como objetivo levar o coachee a encontrar mais satisfação em sua vida.

A parceria entre o coach e o coachee busca a evolução, crescimento, aperfeiçoamento, felicidade, bem-estar e o aprimoramento de sua qualidade de vida. Isso é obtido por meio de procedimentos específicos e acompanhamento contínuo, até que o cliente atinja uma determinada meta ou objetivo.

Coaching também é:

  • A arte de aumentar a performance dos outros.
  • O processo de evocar excelência nas pessoas.
  • Uma ferramenta que promove uma performance continuamente excelente.
  • O processo que potencializa o poder pessoal.
  • O processo que utiliza uma metodologia que gera conversações efetivas, identificação e reformulação de valores,
    metas e busca de soluções eficazes e transformadoras.

Não confunda Coaching com outras práticas

No mercado existem outras práticas que, constantemente, são comparadas com o processo de coaching. As distinções entre coaching e outros métodos não têm como objetivo ressaltar um procedimento em detrimento de outro. Elas servem apenas para orientar a atuação do coach e fornecer subsídios para que ele possa esclarecer possíveis dúvidas de seus clientes.

Coaching não é terapia

O Coaching não deve ser confundido com terapia porque não trabalha com pessoas disfuncionais ou com diagnósticos de problemas ou distúrbios mentais.

No entanto, cabe lembrar que, embora o coaching não seja terapia, ele incorpora entre suas técnicas e ferramentas alguns conceitos da Psicologia Positiva e Cognitiva que se alinham com seus objetivos e sua filosofia. Por outro lado, muitos psicólogos e terapeutas buscam a formação em coaching para ampliar seu repertório de ferramentas e de abordagens.

O coaching possui um corpo de conhecimento multidisciplinar, reunindo conceitos das ciências do comportamento, filosofia, desenvolvimento e aprendizado de adultos, teoria dos sistemas, bem como toda a ciência administrativa de negócios, processos e liderança.

Coaching não é consultoria, mentoring e aconselhamento

O coaching é, por vezes, comparado a aconselhamento, mentoring ou consultoria, mas essa é uma noção equivocada. Um consultor é um especialista em certa área. Ele é contratado para dar recomendações e apontar soluções.

Já o mentor costuma ser um funcionário mais velho, geralmente um gerente, diretor ou supervisor, que se vale de sua experiência para acompanhar, aconselhar e treinar funcionários mais jovens, em uma relação semelhante à de mestre e discípulo.

O aconselhamento (ou counseling) designa um conjunto de práticas diversas, incluindo orientar, ajudar, informar, amparar e tratar. E como o próprio nome diz, inclui também o ato de aconselhar.

O coach, por sua vez, não dá conselhos, não fornece suas próprias soluções ao coachee e nem estabelece com o cliente uma relação de mentor. O coach desenvolve um processo — o coaching — embasado em metodologias e técnicas específicas e validadas, que leva o coachee a encontrar e a implementar suas próprias soluções.

Coaching não é autoajuda

No coaching, conceitos como satisfação, felicidade, realização, qualidade de vida e sucesso aparecem com frequência. Como esse vocabulário é amplamente utilizado pela literatura de autoajuda, há quem confunda uma prática com a outra. Contudo, essa relação não existe. Veja por quê:

O que comumente chamamos de autoajuda não constitui um corpo consolidado e cientificamente validado de conhecimento e prática. O rótulo de “autoajuda” costuma ser aplicado a autores com diferentes backgrounds e formação, que desenvolvem suas próprias fórmulas por meio das quais, supostamente, os indivíduos irão atingir determinados fins – por exemplo: enriquecer, ter sucesso, ser mais feliz, viver melhor etc.

O coaching, ao contrário, possui um corpo consolidado e cientificamente validado de conhecimento e prática.

O coaching não utiliza “fórmulas” – utiliza metodologias, técnicas e conceitos testados e comprovados por meio de pesquisas.

O coach não promete resultados milagrosos. Ele desafia o cliente a descobrir e a utilizar ao máximo o seu potencial – e, ao fazer isso, o coachee atinge resultados que podem até mesmo superar suas próprias expectativas.

Fonte: SB Coaching